Saiba o que rolou na manhã de domingo (02) no SWP Summit #8

Retomando as atividades do SWP Summit #8,  André Tessmann, Technologist na FLAGCX, abriu o dia com a palestra “Consciência, tecnologia e a transformação da sociedade”.  “O grande problema do humano é a cegueira e a distração. Esse olhar deve ser transformado”, afirmou o pelotense, que também falou sobre a sua formação e experiências no mercado de trabalho. André comparou a consciência humana com um grande país, que tem seu próprio líder, habitantes ministérios e necessidades, e falou sobre a importância de refletir sobre as criações: “O tipo de tecnologia presente no mundo é uma evidência da qualidade da nossa consciência”, afirma.

Na sequência, a patrocinadora institucional do SWP Summit #8, Nodo – Consultoria, Design e Desenvolvimento, realizou nesta manhã o Painel “Adaptação e quebra de paradigmas: a nova cultura de negócios”, tendo como tema principal a Transformação Digital. Além de apresentar a empresa, o processo criativo e o fluxo de trabalho da Nodo, os participantes do painel também deram dicas e responderam questões do público sobre experiências com a empresa.

Felipe Wuensche, Analista de Negócios, e Rafael Curi, Designer da Nodo, realizaram a apresentação da empresa, apontando os processos de criação e funcionamento da empresa. Eles ressaltaram que a Nodo busca oferecer soluções de ponta a ponta para os seus cliente, desde a concepção até a entrega. A importância da interação e integração entre os times da empresa, desde a chegada dos projetos até o momento de entrega, foi um dos temas destacados pelos palestrantes, que também apresentaram produtos e soluções gerados pela Nodo para diferentes clientes dentro e fora do Brasil.

 

O primeiro workshop do dia foi o SWP Learn “Como fazer meu projeto funcionar?”, ministrado pelo Marcelo Bacchieri, certificado PMP do Project Management Institute e ainda CertifiedScrum Master. Ele falou sobre Gestão de Projetos, e levou um conjunto de informações para os participantes pesquisarem, e dicas sobre formas de fazer os projetos não darem tão errado. Marcelo conta que tem apreço por falar sobre gestão de projetos, e que fazer isso dentro do SWP é uma experiência especial: “Gosto muito de trazer informações novas para as pessoas, e fazer isso aqui em Pelotas é muito bacana, pois vemos que a informação vai, e necessariamente retorna, já que vemos  esses projetos acontecerem aqui”, encerra.

Leave a Reply