Live painting durante o SWP Summit #8 levou a tecnologia para os muros

Durante o sábado e domingo, enquanto todas atividades do SWP Summit #8 estavam em andamento, dois artistas transformavam um dos espaços em que acontecia o evento e integra o Pelotas Parque Tecnológico. Em apenas dois dias, Veys e Ges, dois artistas do cenário pelotense e nacional, fizeram um live painting, dando uma nova vida ao muro do pátio do parque.

 

O curador da ação foi Maurício Nerva, convidado pela organização do SWP Summit para idealizar os espaços artísticos do evento. Ele foi o responsável por chamar os dois artistas, que possuem um estúdio na cidade, para fazerem a criação do painel. A decisão pelo tema do painel foi dos artistas, que optaram por fazer uma referência não apenas ao evento, que trata sobre tecnologia e inovação, mas também ao Pelotas Parque Tecnológico.

 

Gabriel, conhecido como Veyz, trabalha com o grafite desde 1998. Natural de Pelotas, ele já participa com frequência de eventos nacionais e internacionais, colabora com marcas nacionais na criação de estampas e tem forte atuação pelo país. Ele e Guilherme, que usa o codinome Ges e é atuante desde 2004 no grafite e também com experiência internacional, comandam o estúdio Seriwall Killers, em Pelotas. Trabalhando juntos há oito anos, eles têm uma sintonia que pode agora ser percebida no muro do parque. “A ideia foi de criar um painel mais futurista, que interagisse com o espaço em que ele está e com a tecnologia”, explicou Ges.

 

Os artistas destacaram que o grafite não é um trabalho simples, principalmente porque é cercado de riscos durante o início da carreira. O sucesso deles, porém, vem muito dessa época, principalmente porque contam que não perderam a essência do gosto pela adrenalina e os desafios de cada novo trabalho. Já com as carreiras consolidadas e parcerias com marcas nacionais, eles deixam dicas para quem também pensa em seguir a carreira. “Primeiro tem que se aprender as técnicas principais do desenho, isso é fundamental. Depois, sim, deve partir para o spray”, explicou Ges. Já Veyz lembra que não é fácil começar, mas o treino ajuda. “No início dá um desânimo porque é realmente difícil, mas logo vai aprimorando os traços”, disse.

 

O mural foi finalizado durante o domingo e recebeu o elogio de Rosane Ribeiro, diretora executiva do parque. “Agora o parque tem mais um espaço criativo para as pessoas se conectarem a ele, por isso agradecemos o SWP pelo legado”, disse ela.

Deixar uma resposta